ÀS PROFESSORAS E PROFESSORES COM GRATIDÃO

“A educação é um ato de amor, por isso, um ato de coragem. Não pode temer o debate. A análise da realidade. Não pode fugir à discussão criadora, sob pena de ser uma farsa. ”
Paulo Freire

 
Senhoras e senhores,

Se aproxima mais uma data destacada em nosso calendário como especial, é o dia 15 de outubro, dia em que múltiplas homenagens acontecem para reconhecer a dedicação e enorme contribuição ao País de certas pessoas. É o dia de agradecer aos nossos professores e professoras, homens e mulheres que dedicam seus dias à nobre missão de formar seres humanos para a cidadania.

Diante da proximidade dessa data, precisamos refletir sobre a realidade diversa, e nem sempre grata que esses profissionais enfrentam cotidianamente. Para estarmos aqui, todos e todas iniciamos nossa formação escolar através dos ensinamentos de um professor ou uma professora. Quando pequenos olhávamos a partir dos seus olhos, nos aproximávamos do conhecimento a partir da suas provocações e reflexões e fomos, junto com eles e elas, crescendo e indo para outros espaços de formação, de discussão e reflexão. Foram e continuam sendo os nossos professores e professoras, nossos mestres e mestras na arte de analisar e compreender o tecido das relações sociais, a compreensão da realidade, do mundo e suas diversas interações.

A Educação é um ato de amor, de coragem e de exercício do debate, da crítica e da superação das contradições pela via do diálogo, dos consensos e do respeito à diversidade, e são nossos professores e professoras que estão, com seus conhecimentos e habilidades no centro desse processo maravilhoso, mas, com quanta ingratidão, a maioria das vezes, os retribuímos.

A Educação de qualidade é o fundamento primordial do desenvolvimento de qualquer País e ela passa, necessariamente, pelo justo reconhecimento dos professores e professoras, isto se deveria traduzir em salários dignos, melhores condições para o exercício da profissão, possibilidades amplas de formação continuada e progressão profissional, respeito à autonomia do exercício profissional em sala de aula. Professores e professoras educam seres humanos para interagirem na sociedade com criticidade e criatividade.

Vivenciamos um momento delicado, no qual certos setores da sociedade e inclusive do Parlamento, pretendem circunscrever a ação dos professores ao mero repasse de conteúdos, sem criticidade, sem análise, isto é uma escola sem reflexão, “sem partido”. É por isto que chamamos a atenção para a urgência de respeitar essa nobre profissão, pois sem a dedicação desses profissionais, muitos de nós não estaríamos aqui.

Nossa gratidão às professoras e professores do Brasil! Reafirmamos o nosso compromisso com a Educação Pública e de qualidade para todos e todas.

Brasília, 11 de outubro de 2017