Ságuas chama de arbitrária decisão de Moro de descumprir ordem de liberdade de Lula

O deputado federal Ságuas Moraes (PT) criticou a interferência do juiz Sérgio Moro na decisão do desembargador Rogério Favretto, do Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região, que concedeu Habeas Corpus (HC) ao ex-presidente Lula, no domingo (08.07). Lula não foi solto porque Moro agiu ilegalmente impedindo que a Polícia Federal efetuasse a libertação do petista. Para Ságuas a ação de Moro foi arbitrária.

De acordo com Ságuas, o desembargador Favretto que estava de plantão no Tribunal quando concedeu o HC tem total autonomia para tomar decisão. Ele questionou a interferência de Moro. “Não existe essa possibilidade que aconteceu, do Sérgio Moro, que é de instância inferior e de férias em Portugal, acionar outro desembargador do TRF-4 [João Pedro Gebran Neto, relator dos processos da Lava Jato], que estava de recesso forense, para tentar mudar a decisão do juiz de plantão”, criticou.

O petista ainda disse que quem não estivesse satisfeito com a decisão de liberdade concedida ao ex-presidente deveria ter pedido a revogação do HC, dentro dos ritos processuais legais, mas que a ordem do desembargador Favretto deveria ter sido cumprida.

“Não há provas contra Lula. A prisão dele é só a conclusão do golpe para retirar o PT das eleições. Estão agindo com ilegalidade e perseguindo o Lula desde o início”, finalizou. (Com Jnanotícias)

Assessoria de Imprensa

Deputado Federal Ságuas Moraes (PT-MT)