Parlamentares do PT destacam ato de coragem dos militantes que fazem greve de fome pela libertação de Lula

Vários parlamentares da Bancada do PT na Câmara visitaram na manhã desta quarta-feira (8) aos sete militantes de movimentos sociais que fazem a greve de fome por justiça no Supremo Tribunal Federal em defesa de Lula e por melhores condições de vida para o povo brasileiro. Emocionados, os 11 parlamentares foram recebidos na sala onde os grevistas dormem e também descansam a maior parte do dia. No nono dia do ato extremo, os parlamentares abraçaram e levaram palavras de conforto e de solidariedade aos militantes, que já começam a sentir os efeitos físicos causado pela falta de alimento. Os parlamentares elogiaram a atitude de coragem e a firmeza de propósito dos militantes.

Participaram da visita os deputados petistas Wadih Lula Damous (RJ)Patrus Lula Ananias (MG)Waldenor Lula Pereira (BA)Maria do Rosário Lula(RS)Ságuas Moraes (MT), Zé Geraldo Lula da Silva (PA)Benedita Lula da Silva (RJ)José Lula Mentor (SP)Sibá Lula Machado (AC)Paulão Lula (AL) e Hélder Salomão (ES). Também estiveram presente o senador Humberto Costa (PE) e o ex-deputado federal Renato Simões, representando a Executiva Nacional do PT.

Foto: Lula Marques

O deputado Wadih Lula Damous disse que a atitude dos grevistas também emocionou o ex-presidente Lula. “Ontem estive com o presidente Lula que me pediu que eu disse a vocês que ele está comovido com esse gesto. Que vocês são exemplo de resistência e de coragem para o povo brasileiro”. Wadih reforçou que no dia 15 de agosto, pela primeira vez na história, será feito o registro de uma candidatura que não será levada pelas mãos de advogados, mas sim pelo povo brasileiro. “Por isso, muita força e resistência para vocês, e podem contar com a nossa solidariedade e do povo oprimido desse País”, destacou.

O deputado Patrus Ananias lembrou aos grevistas que eles estão bem acompanhados por personagens da história. “Vocês estão acompanhados por outros companheiros que também realizaram greve de fome. O primeiro foi Jesus de Nazaré, que chegou a passar 40 dias sem comer. Depois veio Mahatma Ghandi, militante da não violência que por meio da desobediência civil e da greve de fome libertou a Índia do domínio britânico. E por último, Martin Luther King, defensor dos direitos civis dos negros e pobres dos Estados Unidos, que utilizava a greve de fome como instrumento de resistência. Portanto, vocês têm companheiros de luta importantes na história”, afirmou.

Waldenor Pereira disse aos militantes que “o povo da Bahia estava orgulhoso por esse gesto em defesa da democracia e do povo oprimido do Brasil”. Sobre o exemplo de luta dos grevistas, a deputada Maria do Rosário disse que a greve de fome em defesa de Lula e dos direitos do povo brasileiro “é como o primeiro veio de água que brota da terra e que depois forma um rio”. “Vocês representam essa água, que depois vai se expandir para o restante do Brasil”, disse.

Luta – Todos os grevistas agradeceram a visita de solidariedade e ressaltaram a disposição de continuar a luta até a libertação de Lula. Para Rafaela Alves, do Movimento de Pequenos Agricultores (MPA), os sete militantes em greve de fome estão em uma jornada em defesa do povo brasileiro. “Nosso grito é em defesa povo pobre e oprimido. Lutamos contra a fome e a violência que assola principalmente os negros, pobres, mulheres e população LGBT, e por justiça aos nossos companheiros presos que sofrem perseguição política. Estamos nessa luta também pela liberdade de Lula e pelo direito de ele ser votado pelo povo brasileiro”, disse.

Já a militante do MST de Rondônia, Zonália Santos, destacou que apesar da debilidade física todos pretendem continuar a greve de fome. A grevista passou a noite tomando soro no hospital, e se juntou ao grupo momentos antes da visita.

Foto: Lula Marques

“O nosso espírito está bom, cheio de esperança, mas o nosso corpo está se debilitando. Mas estamos aguentando porque acredito na luta do povo por justiça no STF e por Lula livre. Vamos continuar firmes até o último momento”, garantiu.

Na mesma linha, o militante do MST de Pernambuco, Jaime Martins, conclamou o povo brasileiro para participar da luta pela libertação de Lula. “A greve de fome se justifica por dois caminhos:  quando não outra alternativa pelas vias legais e quando a causa é justa. As duas condições se enquadram no caso do presidente Lula”, afirmou.

Jaime Martins convidou todos os trabalhadores e trabalhadoras para demonstrarem solidariedade a eles participando do Dia do Basta, no próximo dia 10 (sexta-feira), com paralisações, bloqueio de estradas e mobilizações.

O Dia do Basta é uma mobilização convocada pela Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo pela revogação da “reforma” trabalhista, restabelecimento da democracia e respeito ao direito de Lula se candidatar.